Adaptação escolar, a psicóloga Caroline Brandalise Antoniazzi comenta.

Existe uma idade ideal para a criança entrar na escolinha ou isso varia de acordo com a personalidade da criança e a necessidade dos pais?

A entrada na escola desenvolve capacidades e habilidades na criança que talvez demorassem um pouco mais para serem percebidas caso a criança ficasse em casa com uma babá. A instauração da rotina e da autonomia é importante para a formação da personalidade da criança. Na escola, as relações com os colegas e professores são fundamentais para o desenvolvimento dos aspectos sociais. Além disso, fica evidente a diferença do desenvolvimento neuropsicológico e cognitivo das crianças que estão na escola se compararmos com as que não estão. As desvantagens, no meu ponto de vista, são as viroses que podem tornar-se recorrentes em função das outras crianças, mas que infelizmente fazem parte desse processo.

Quais são as vantagens e desvantagens da criança que está na escolinha?

Acredito que as crianças que entram na escola desenvolvem algumas habilidades mais cedo do que as que não estão. Seja pelo modelo ou imitação dos colegas, a tendência é que fiquem mais estimuladas e encorajadas em alcançar as etapas que os colegas estão. Por exemplo: o uso do copo de treinamento ao invés da mamadeira, fazer tentativas de comer sozinhas, fazer o treinamento para o desfralde, o desenvolvimento da fala, entre outros.

Como escolher uma escolinha?

A escolha da escola para o seu filho deve ser feita com tranqüilidade e com antecedência. Buscar alguma escola perto de casa, o que diminui tempo para o transporte dos pequenos, conhecer o projeto psicopedagógico, o número de alunos por sala e de professores e auxiliares por aluno. Acho fundamental observar a limpeza do espaço, a segurança da sala e do pátio (por exemplo: as tomadas são protegidas? As portas são travadas? Na pracinha tem areia? Essa areia é protegida?). Como é o procedimento quando alguma criança se machuca? Levam ao Pronto Socorro ou chamam algum serviço de atendimento? Como é feita a alimentação dos pequenos? A escola tem nutricionista para a elaboração do cardápio? Também acho que a questão do horário deve ser observada, visto que tem escolas flexíveis para a chegada e saída e outras não.

Como deve ser a adaptação da criança na escolinha?

Acredito que a adaptação começa muito antes do primeiro dia de aula. Inicia na conversa com a criança sobre a entrada na escola. É fundamental levar a criança para conhecer a escola, comprar a mochila, os uniformes para possibilitar que a criança vá se apropriando do novo assunto. Na adaptação, que pode durar dias ou semanas, dependendo da criança a mãe é peça fundamental! A mãe tem que manter-se segura da sua escolha, não demonstrar ambivalência. Nesse início deve fazer o que combinar com o seu filho: se disse que vai esperar ela deve estar lá quando e caso ele chorar. Nunca dizer que vai esperar e sair. Observamos que quanto menor a criança mais fácil a adaptação, em função de não ter tido uma rotina anterior cristalizada.

A criança pode apresentar alguma mudança de comportamento nesse período?

A criança pode apresentar alguma mudança de comportamento no período de adaptação e entrada na escola, visto que está experimentando uma nova rotina e muitas novidades que despertam ansiedade. É comum darem uma regredida emocionalmente, querendo funcionar como um bebê de colo, apresentando alterações do sono e da alimentação, mas isso em função dessa nova proposta que está sendo apresentada para a criança. A tendência é que a criança integre a rotina da casa com a rotina da escola. É importante observar a freqüência e a duração dos comportamentos regressivos.

Alguma dica para deixar esse momento menos tenso?

Uma dica que dou é que a mãe explique para a criança o que vai acontecer naquele dia na escola para que ela consiga prever o que vai acontecer. É diferente para a criança ouvir: “a mãe te busca no fim da tarde” e “ tu vais brincar com os amigos, vai dormir, lanchar e daí a mãe te busca”, isso vai acalmando a criança e não deixa ela tão ansiosa.

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *