Estante para livros. Que tal incentivar a paixão dos pequenos pela leitura?

Formada em letras e jornalismo, teria como não ser apaixonada por livros? Desde pequena, eles me fazem companhia e deixam a minha vida mais interessante. Mas tenho certeza de que esse não foi um caso de amor à primeira vista. Estante para livros criançasSempre fui incentivada pelos meus pais a curtir o mundo das letrinhas. Eles me levavam a livrarias, contavam histórias e o mais importante de tudo: davam exemplo lendo sobre os mais variados assuntos.

O André e eu temos o hábito de ler para o Santiago na cama. E é incrível como o nosso gurizinho se diverte e já tem seus livros preferidos. Semana passada, ao buscar o boletim dele na escolinha, a professora destacou a paixão do meu bebê por histórias. Fiquei toda orgulhosa.

Esses tempos, entrevistando a querida Nurit Masijah Gil para a seção It Mammies aqui do site, ela me contou que as noites em sua casa nunca mais foram iguais desde que instalou uma prateleira baixa no quarto de Taly. Agora a sua pequena escolhe as historinhas que quer ouvir antes de dormir. Não é o máximo que as crianças tenham os livros à altura das mãos?

Selecionei, então, vários modelos de estantes para vocês também entrarem no clima. Vamos brindar a literatura?

Lixo para fraldas

Gente, olhem só que máximo esse lixo para fraldas! Ele acondiciona as fraldas usadas individualmente pelo sistema twist-lock (torce e lacra), evitando o mau cheiro característico, e tem uma película anti-gérmica que mantém os germes e bactérias presos dentro do próprio lixo. Além disso, torna-se desnecessário o uso de sacos plásticos individuais, economizando em até 20% o seu uso.

Lixo para fraldas

O produto da marca Sangenic está à venda agora no Brasil, e já é sucesso na Europa e nos EUA. Eu vi esse lixo na última vez que fui aos EUA, e confesso que fiquei louca para comprar, mas depois achei que era um trambolho muito grande para carregar…

Para quem se interessar, entre no site www.lista.mercadolivre.com.br/lixo-para-fraldas lá tem todas as informações, até com vídeo explicativo, e também os pontos de venda e sites que comercializam o produto no Brasil. Custa apartir R$ 119,00.

Enjôos, Dramins e afins

Até agora, posso dizer que foi tudo tranqüilo porque não tive nenhuma ameaça de perda do bebê, nem sangramentos. Mas do ponto de vista do meu estômago, não foi nada tranqüilo. Bem pelo contrário: desde a 6a semana de gestação, tenho a sensação de estar vivendo num navio que sacode ao sabor de ondas imensas e constantes. Sim, os enjôos, ou “morning sickness” para os americanos – que, para mim, significam morning, afternoon, evening, night… sickness!

Enjôos

Vocês devem estar se perguntando: mas os enjôos já não eram para ter passado lá pela 12a semana? Sim, eram, e confesso que estão bem mais amenos, mas ainda preciso do Dramin B6 para viver.

Quando eu estava grávida do Frederico, tive enjôo da 8a até a 12a semana. Eram náuseas constantes e quase diárias, mas em geral pelo período da manhã. Vomitei poucas vezes, umas 5 ou 6 no total. Mas agora, nessa segunda gravidez, o enjôo resolveu me mostrar a sua cara mais feia: náuseas muito fortes, eterna sensação de desconforto, falta de vontade de comer, total intolerância a cheiros, e vômitos, muitos vômitos.

Quando eu estava lá pela 9a semana, sofrendo muito, praticamente me alimentando de bolacha água e sal, chá de camomila e água com limão, e já 3 kg mais magra do que no início da gestação, resolvi ligar para a minha médica e dizer que não agüentava mais. Sabe qual foi a resposta dela? Mas por que não me ligou antes, menina?! Me receitou Dramin B6 de 4 em 4 horas, e ufa, que alívio –  me tornei outra pessoa! Voltei a comer, a ter ânimo, a brincar com meu filho… Santo Dramin!

Ela me falou para, a partir da 12a semana, ir diminuindo o Dramin, pois os enjôos normalmente passam nessa fase da gestação. Já estou espaçando mais o remédio, mas no dia em que tentei ficar sem, todo aquele terror das náuseas e vômitos voltou. Meu corpo ainda não se acostumou com tanta progesterona…

Vocês sabiam que 50% das mulheres grávidas sofrem com os enjôos no início da gravidez? E que a mesma mulher pode ter enjôo em uma gestação, e não ter em outra? (Eu não faço parte dessa turma de sortudas).

E vocês, leitoras gravidinhas, também passaram por isso?