Como escolher a escola?

No jornal Zero Hora do dia 17/11/2010, saiu o caderno ZH Matrículas, que traz ótimas dicas de especialistas sobre como escolher a escola dos filhos.
Vou fazer aqui um “resumão” dessas dicas para vocês:
1) COMO ESCOLHER A ESCOLA?
a. O ideal é começar procurando por escolas mais próximas de casa.
b. No entanto, a proximidade da escola não deve sacrificar a escolha por uma escola de qualidade.
c. Visitar as escolas é um passo essencial – os pais devem procurar conhecer a rotina do ambiente escolar, ver se é cuidado, limpo, etc.
d. Durante a visita, a família pode questionar sobre o projeto político pedagógico da instituição.
e. É importante que o espaço educacional tenha, em seu referencial pedagógico e em sua prática cotidiana, valores semelhantes ao do núcleo familiar.
f. Após as primeiras visitas, quando os pais já tiverem feito uma pré-seleção das escolas, deve-se levar a criança para também observar suas reações a esses ambientes escolares.

2) O QUE OBSERVAR NA INFRAESTRUTURA?
a. Deve-se observar a quantidade de crianças por m2, além de luminosidade, janelas (altura, ventilação, etc), instalações elétricas, condições dos sanitários.
b. Preste atenção se a escola é bem servida de pátios. Se tem plantas, contato com o chão, areia, terra. Também é importante observar se esses pátios comportam o número de crianças, se são diversificados com espaços para correr e brincar.
c. Verificar se as salas apresentam jogos adequados à idade das crianças e em quantidade suficiente, e também se apresentam livros, fantoches, quebra-cabeças, carros, construção com blocos, etc.
d. As condições de segurança externa – mecanismos de controle do acesso à escola e preservação da sua privacidade.

3) COMO DEVE SER A ESCOLA?
a. Pesquisas indicam que para bebês e crianças pequenas funcionam melhor as escolas menores.
b. Mas a escolha por tamanho não deve ser fator mais relevante frente à proposta pedagógica e à adequação ao que a família espera da escola em termos de valores.
c. Se a escola for grande, é importante que haja prédio específico e exclusivo para os pequenos.
d. Espaços que não se confundem são essenciais para a criança não se sentir perdida no meio da multidão, o que não é bom para os pequenos estudantes.

E para quem ainda está em dúvida, na segunda-feira que vem o Palavra de Especialista será uma entrevista com a psicóloga Caroline Brandalise Antoniazzi, dando dicas sobre esse tema. Não percam!

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *