Quando a criança deve largar o bico?

Alô, mamães: pensando em como fazer para seus filhos largarem o bico/chupeta? Eu já passei por essa fase com o Frederico, conseguimos (eu, meu marido e a Dra. Juliana) fazer o desapego final aos 3 anos e 5 meses, até fiz um post sobre isso antes do meu filho largar o bico (ver aqui). Foi um pouco atrasado em relação ao ideal, foram difíceis os primeiros dias, mas vencemos! Ano que vem terei que passar pelo mesmo processo com a Valentina, que adora o “bibi” dela… Chego a ter calafrios só de pensar!

Eu considero essa uma das grandes mudanças na vida da criança, junto com o desfralde. Parece que, ao largar definitivamente a fralda e a chupeta, ela passa de fato da fase “bebê” para a fase “criança”. E todas as mudanças deixam marcas e não são fáceis, claro. Nem para nós, nem para os pequenos.

Pensando nisso, fiz algumas perguntas sobre o assunto à odontopediatra dos meus filhos, a Dra. Juliana Barata, que inclusive já nos deu entrevista sobre os cuidados bucais na infância aqui.

Os danos causados pelo uso da chupeta dependem do período de tempo em que é usada, da intensidade com que é usada e da frequência com que é usada.

Durante o hábito de sucção, a língua exerce uma força sobre o bico pressionando-o contra o palato (céu da boca). Essa força faz com que a arcada superior vá adquirindo um formato mais estreito, fazendo com que o palato fique profundo, favorecendo um crescimento vertical e dificultando a respiração pelo nariz, o que leva a uma respiração bucal. Além disso, os dentes anteriores são projetados (empurrados para frente), o que facilita com que sejam atingidos em caso de traumatismo dentário.  Esses dentes anteriores também ficam posicionados mais para cima, não havendo contato com os dentes inferiores, o que é chamado de “mordida aberta anterior”. Todas essas alterações levam a uma musculatura da face enfraquecida, o que prejudica a fala da criança.

 

2)   Até que idade o bico pode ser usado sem que haja prejuízos irreversíveis aos dentinhos?

A Associação Brasileira de Odontopediatria e o Ministério da Saúde recomendam que a idade de 3 anos seja a época limite para a eliminação do uso da chupeta. Entretanto, reconhecem que o ideal seria remover gradativamente o hábito até os 2 anos de idade. É importante que o odontopediatra acompanhe essa criança no sentido de avaliar se o hábito já não está causando alterações muito severas antes dessa idade. Nesse caso, com a concordância dos pais, pode-se tentar um abandono do hábito antes dos 3 anos de idade.

 

3)   Como os pais devem proceder quando chega a  hora de tirar o bico?

É importante que antes disso se inicie um processo lento e gradual de forma que ao se chegar aos 3 anos de idade o abandono seja tranquilo.  Desde o início do uso, o bico não deve ser estimulado e, de preferência, não deve ser oferecido antes que a criança solicite.

Os pais devem conversar com a criança explicando o que o bico está causando de forma que a criança se conscientize das reais razões pelas quais o bico deve ser abandonado.  Isto faz com que o abandono seja consciente. É muito provável que nos primeiros dias sem o bico, a criança se arrependa e peça o bico de volta. Nesse momento, os pais devem reforçar com a criança porque ela quis abandonar o bico e que é normal que ela sinta saudades, que essa saudade vai passar. E que enquanto sentir saudades, seu pai ou sua mãe vão ficar fazendo companhia, contando história ou lendo algum livro diferente”. Essa conduta vai distrair a criança, mas principalmente mantê-la segura após ter tomado uma decisão definitiva.

Deve-se tomar muito cuidado no sentido de se evitar propor trocas com a criança como por exemplo: “Se você entregar o bico para o Papai Noel, ele vai trazer uma linda boneca”

É fundamental que, após o abandono da chupeta, essa criança seja muito elogiada, realizando-se o que se chama “reforço positivo”. Aí sim, pode-se dar algum presente à criança, mas com a conotação de ser um prêmio pela sua conduta e não um objeto de troca.

 

4)   Como fazer o processo de forma que não ocorram traumas para a criança? Qual a influência do dentista nessa fase?

É claro que o abandono do bico é uma mudança importante na vida da criança. O fato de ser um sofrimento, pelo sentimento de perda não significa que a criança vai ficar traumatizada. O odontopediatra pode iniciar esse processo conversando com a criança sobre o porquê dela abandonar a chupeta e, principalmente, orientando os pais a como agir neste momento e nos dias que se seguem, já que é comum a criança se arrepender de ter parado com o hábito.

 

5)   Quais as marcas e modelos de bicos mais apropriados? Que tamanho de bico deve ser utilizado em cada idade?

O ideal é a utilização de uma chupeta de silicone (ao invés da de látex que favorece um maior acúmulo de bactérias) e ortodôntica já que apresenta um formato anatômico que acompanha o formato do palato. Quanto à marca, deve-se procurar marcas reconhecidas pela fabricação de bicos. Apesar da indicação do fabricante com relação ao aumento gradativo do seu tamanho, o ideal é que, desde o início, se adote a chupeta de menor tamanho por ocupar um menor espaço na cavidade bucal.

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *